Construindo repertório para a redação do Enem

Desde a sua criação, em 1998, o Enem tem o objetivo de avaliar o desempenho do aluno ao término da educação básica. Por meio de cruzamentos de dados, o Ministério da Educação (MEC) usa os resultados para elaborar políticas públicas para a educação no país. Por isso, o exame avalia as competências de leitura e de escrita do estudante.

A redação é uma parte muito importante da prova do Enem. Ela vale mil pontos e revela a capacidade do candidato de compreender, analisar e avaliar questões sociais, culturais, científicas e/ou políticas. E isso exige muita prática de leitura, reflexão e escrita.

A expectativa em relação ao tema que será cobrado costuma trazer muita ansiedade para o estudante. Mas, em vez de tentar adivinhar o tema da redação do Enem, o que indica falta de preparo para o exame, é muito mais produtivo o aluno se preocupar em construir um repertório e ficar, de fato, preparado para qualquer tema que caia.

Neste artigo, vamos refletir sobre alguns aspectos que podem ampliar o repertório dos candidatos para que façam não apenas uma excelente redação do Enem, mas também dominem a interpretação na prova objetiva. Boa leitura!

Saiba quais são os principais tipos de redação

Existem diversos tipos de redação aos quais os vestibulares podem recorrer. Cada um deles segue uma estrutura e um propósito diferentes, exigindo dos candidatos o conhecimento para aplicar as melhores técnicas e alcançar os objetivos propostos.

Na prova de redação do ENEM, por exemplo, o aluno terá que redigir um texto dissertativo-argumentativo. Esse é um tipo textual que exige a construção de um ponto de vista sobre o tema, a seleção de argumentos para defesa desse posicionamento, além de uma proposta de intervenção social.

São outros tipos de redação:

  • narrativa: com personagens delimitados, cenários onde os eventos acontecem e o tempo, esse texto deve apresentar um clímax e um desfecho;
  • descritiva: texto em que se descreve um objeto, uma pessoa, uma ideia, entre outros. Deve ser rico em detalhes para que o leitor entenda sobre o que está sendo falado;
  • carta: é uma forma de comunicação para fazer um pedido, sugestão ou reclamação, a partir da apresentação do problema, envolvimento do leitor e bons argumentos;
  • texto jornalístico: é o gênero em que se apresenta “o que”, “como”, “quando”, “onde” e “por que” na introdução e, posteriormente, desenvolve-se a explicação do fato. É, geralmente, isento de opinião e, por isso, não muito usado em vestibulares.

Vale lembrar que o estudante pode utilizar alguns elementos desses tipos de redação para tornar o seu texto único. Porém, essa estratégia deve ser pensada com cautela. Um exemplo bastante rico é apresentar o tema proposto a partir da narrativa de um fato pertinente, com o intuito de situar o leitor na problemática.

Conheça as competências avaliadas na redação

De fato, é essencial ter familiaridade com diferentes tipos de temas que poderão ser cobrados na prova de redação, tais como:

  • a violência cíclica que o Brasil enfrenta;
  • a sustentabilidade nos ambientes sociais;
  • os desafios do envelhecimento da população;
  • o combate à disseminação de notícias falsas;
  • o avanço da bancada ruralista contra terras indígenas;
  • compliance e corrupção;
  • a democratização do acesso à informação e o desenvolvimento das pessoas.

Porém, para além disso, o estudante deve entender o que a banca avaliadora leva em consideração para aplicar as notas. Na verdade, são 5 competências. Veja quais são!

Domínio da língua

A primeira delas diz respeito à maneira como ele compreende a norma culta e a aplica na redação do Enem. Nesse momento, a leitura de diferentes estilos de narrativa é o que enriquece o repertório lexical desse candidato.

Compreensão do tema

O estudante também deve estar atento ao tema proposto, de modo a não divagar muito ou fugir dessa linha de raciocínio. Todos os seus argumentos precisam fazer sentido e direcionar o leitor a uma conclusão, sempre dentro da promessa.

Estruturação de informações da redação

O próximo passo é estruturar as suas ideias, selecionando os argumentos mais fortes e dispondo-os da melhor forma para compor a redação. As informações precisam ser claras e compreensíveis, além de seguir a quantidade mínima e máxima de linhas.

Defesa do ponto de vista

Seguir a estrutura dissertativo-argumentativa também é uma das competências avaliadas. Para o melhor resultado, o candidato deve apresentar de dois a três argumentos fortes, capazes de expor o seu posicionamento e persuadir o leitor a concordar.

Elaboração da proposta final

Para finalizar a exposição de argumentos, a redação precisa de uma solução, que não pode ser utópica ou clichê. A banca aprecia propostas viáveis, aplicáveis e escaláveis.

Examine exemplos de redações nota mil do Enem

Conquistar a nota mil na redação do Enem não é algo impossível. A cada ano, ao menos 40 candidatos conseguem esse feito. Um bom caminho para construir o repertório é entender o que esses textos têm em comum e de que maneira aplicar tais técnicas em seu trabalho.

Com os exemplos de redações nota mil, é possível reparar que quem não tem repertório próprio não consegue ir além das ideias dos textos motivadores, não produz um texto com diferentes vozes (ou seja, sem citação de filósofos, sociólogos, historiadores etc.). Afinal, não se presta a dialogar com outras áreas do conhecimento.

Dessa maneira, o candidato deve ler principalmente reportagens, editoriais e artigos de opinião, pois são gêneros textuais que o ajudarão a ter acesso a diferentes pontos de vista sobre cada assunto, que é a base para a capacidade crítica.

Assim, ler um artigo de opinião todos os dias é crucial. Não adianta folhear uma revista quatro horas seguidas e retomar a leitura dali a um mês. Isso não tem efeito prático para formar repertório e pode ser, inclusive, uma distração sem propósito.

Treine sempre

Por fim, é preciso ter em mente que o repertório para a redação do Enem é construído com a vivência. Cada pessoa pode ampliá-lo por meio de experiências, ou seja, tudo o que puder proporcionar novos conhecimentos e reflexões. Uma maneira recomendada para isso é por meio do treinamento constante.

Para isso, o aluno pode selecionar os últimos temas que o Enem propôs para a redação e treinar a partir deles. Uma alternativa é criar um plano de estudos para os jovens, em que tenham espaço reservado para fazer textos dissertativo-argumentativos com base no que acontece de problemático no Brasil e no mundo.

Enfim, ter êxito na prova de redação do Enem requer leitura diária de temas atuais que propiciem reflexão sobre diferentes problemáticas, planejamento a fim de explicitar as técnicas de escrita do texto dissertativo-argumentativo, escrita semanal e melhoria dos aspectos frágeis apontados pelo professor.

Agora que você compreendeu o que é preciso para uma redação nota mil, compartilhe o conteúdo em suas redes sociais. Dessa forma, outros pais poderão compreender as melhores técnicas e auxiliar os jovens nessa jornada rumo à aprovação.

Tags: