Projeto da unidade Ouro Branco prepara estudantes para a redação do Enem

Como tirar nota máxima na redação no Enem? A professora de redação Josimery Nogueira, do Colégio Batista Mineiro, explica que há técnicas que podem ajudar e muito os estudantes a alcançar um bom desempenho e, até mesmo, o tão almejado 1000. Por meio do projeto #euquero1000, desde o início do semestre, a turma da 3ª série do Ensino Médio da unidade Ouro Branco do Batista já tem sido preparada para ir além da média no maior exame do Brasil.

Com o objetivo de aprimorar os recursos redacionais dos vestibulandos, as aulas expõem os critérios de correção da redação do Enem, as minúcias das partes que compõem o todo textual e os temas de todas as edições do Enem. “Trata-se de um trabalho que convida os estudantes à reflexão sobre como e por que escrevemos, com formas várias de argumentar e de pensar criticamente sobre as coisas do mundo”, acrescenta Josimery, que é mestra em Letras (UFSJ-MG), especialista em Língua Portuguesa (PUC Minas) e consultora educacional.

Redação de sucesso
Em concordância com a missão do Colégio Batista Mineiro de contribuir para a formação do ser humano por meio da educação integral, antes de colocar a mão na massa, competências socioemocionais são trabalhadas em sala de aula. Conforme a professora, esse trabalho é feito uma vez que não basta apenas saber as técnicas, pois é necessário estar também preparado emocionalmente para fazer uma boa prova. “Por isso, trabalhamos aspectos como autoconhecimento, autocontrole, empatia, decisões responsáveis, habilidades sociais e autoapreciação”, destaca.

A partir das ideias a respeito da lógica-argumentativa desenvolvidas por Patrick Charaudeau – professor e doutor em Ciências da Linguagem na Universidade de Paris Nord e uma das maiores autoridades em Análise do Discurso do mundo –, o projeto #euquero1000 aborda elementos de base da relação argumentativa, modos de raciocínio (dedução, dedução pragmática, dedução condicional, explicação, associação, concessão restritiva), visão argumentativa da gramática- operadores argumentativos e relações interfrásticas.

Os estudantes contam ainda com um caderno de citações, alusões históricas, dados estatísticos e mapas de ideias das questões gramaticais, e estudam a Constituição Federal e a sua relação com os temas do Enem, entre outros recursos. Agora, a turma é preparada para aderir também ao método Eduscrum, com a formação de grupos de estudos. No Eduscrum, cada equipe de estudantes desenvolverá métodos de estudo mais inteligentes e mais rápidos, ensinando uns aos outros. “Há 7 anos tenho ensinado os alunos a aplicarem essa lógica-argumentativa, e tem dado muito certo. A menor nota que um deles tirou na redação do Enem foi 700 e a maior, 980”, conta Josimery, ao lembrar que as notas têm sido bem acima da média geral, que na última edição foi de 522,8.

Segundo a professora, até mesmo os estudantes que não têm habilidades em produção de textos podem conseguir uma boa nota na redação do Enem a partir das técnicas ensinadas por meio do projeto. “Temos um caso de estudante, por exemplo, que iniciou o ano com a possibilidade de alcançar nota na redação de até 560 e hoje tiraria cerca de 800. Temos outro que iniciou o semestre com possibilidade de atingir uns 700 pontos e hoje tem grandes chances de tirar de 980 a 1000”, exemplifica ela, que usa os critérios da redação do Enem para avaliar os textos dos estudantes.

Tags: