11 DICAS SOBRE COMO SE PREPARAR E ESTUDAR PARA O ENEM

O tão aguardado Exame Nacional do Ensino Médio – Enem foi adiado. Com isso, os alunos do “Terceirão” ganharam mais tempo para estudar para o Enem. E nada mais propício do que aproveitar este período de quarentena para se preparar melhor para a prova.

Entre as habilidades fundamentais para este momento, os candidatos irão precisar exercer muita dedicação e persistência. Além disso, o apoio da família é essencial. Afinal, esse incentivo contribui para que o aluno não perca o foco e persevere nos estudos.

Além disso, separamos outras 11 dicas para ajudar aqueles que desejam ter um ótimo desempenho no exame. Então, se você é um candidato ao Enem, continue lendo este post. Caso você seja pai ou mãe de candidato, também confira as dicas e ajude seu filho a se sair bem na prova!

1. ALINHE AS MOTIVAÇÕES

Estudar para o Enem parece ser a coisa certa a fazer. Afinal, todos esperam que os alunos da 3ª série do Ensino Médio façam a prova e, assim, conquistem uma vaga na universidade. Com base nesse entendimento e buscando suprir as expectativas da família e dos outros é que muitos alunos fazem o exame. Contudo, motivações como essas não devem figurar como as principais.

Por isso, antes mesmo de começar a estudar, o estudante precisa ter em mente o que deseja alcançar ao realizar a prova. Sendo assim, é importante refletir sobre as reais razões pelas quais ele quer ir bem no exame.

Nesse sentido, o aluno deve definir, por exemplo, qual profissão e curso quer fazer e levantar quais universidades oferecem essa oportunidade.

A partir disso, ele poderá traçar metas mais consistentes como quais são os principais conteúdos a serem estudados e a nota média que precisará tirar no exame. Assim, com as motivações alinhadas, manter o foco nos estudos ficará muito mais fácil!

2. DESCUBRA QUAL É SEU ESTILO DE APRENDIZADO

Você sabia que cada pessoa possui um estilo de aprendizagem? Os especialistas afirmam que existem três tipos de aprendizado, são eles: auditivo, visual e cinestésico.

Vale explicar que os estudantes do perfil visual tendem a aprender melhor por meio de videoaulas, ilustrações e textos, pois têm uma memória fotográfica.

Já as pessoas do estilo auditivo gravam melhor o conteúdo por meio de áudios. Então, os podcasts, por exemplo, podem ser ótimas escolhas para os estudos.

Quem se enquadra no tipo cinestésico, por sua vez, gosta de colocar a mão na massa. Por isso, aprendem melhor colocando na prática aquele ensino ao montar e desmontar, ao participar de aulas em laboratórios, entre outros.

Com o perfil detectado, a dica é investir no estilo de aprendizado para estudar para o Enem.

3. ESTABELEÇA UM CRONOGRAMA

Estudar em casa requer ainda mais disciplina. Afinal de contas, o lar é, entre outras coisas, um lugar para se relaxar. Por isso, há alunos que têm dificuldade de focar nos estudos em casa.

Para dar fim a essa situação, uma dica é criar um cronograma para a rotina diária em casa. Sendo assim, o aluno deve definir dias e horários em que irá estudar para o Enem.

Nesse planejamento, é importante incluir também os momentos em que as matérias da escola serão estudadas. Tempo definido para dormir, para o lazer e para fazer atividades físicas também deve constar nesse cronograma.

Para que esse planejamento funcione bem, uma sugestão é criar um quadro com os horários e dias com todas as atividades deverão ser feitas durante a semana.

4. DEFINA UM LOCAL DE ESTUDOS

Um ambiente adequado é muito importante para o sucesso nos estudos. Sendo assim, defina o local da casa em que poderá estudar.

É importante que nesse espaço não haja muito barulho para a melhor concentração do aluno. Objetos que causam distração como celular e TV também devem ser retirados do local.

5. CONHEÇA A MATRIZ DE REFERÊNCIA DO ENEM

O Enem possui uma Matriz de Referência. Nessa matriz, estão descritas quais são as competências e habilidades que serão cobradas dos candidatos relativas a cada área do conhecimento.

Como os alunos do “Terceirão” devem saber, a prova é dividida em quatro áreas do conhecimento, são elas:

  • Linguagens, códigos e suas tecnologias, que abrange o conteúdo de Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Artes, Educação Física, e Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Matemática e suas tecnologias;
  • Ciências da Natureza e suas tecnologias, que abrange os conteúdos de Química, Física e Biologia;
  • Ciências Humanas e suas tecnologias, que abrange os conteúdos de Geografia, História, Filosofia e Sociologia.

A partir dessa matriz, o aluno terá uma visão mais ampla do que será exigido na prova. E, assim, poderá mergulhar nos aprendizados mais específicos que precisará ter sobre cada uma dessas quatro áreas do conhecimento.

6. PRATIQUE REDAÇÃO

Por mais que seu você esteja focado na área de exatas, não tem como ignorar os estudos para a redação. Afinal, essa prova tem grande peso na nota final, já que vale mais pontos.

Então, treinar para a redação é fundamental para quem deseja ter êxito no Enem. Por isso, é essencial escrever vários textos com assuntos diferentes e nos moldes exigidos no Enem.

Vale também ler bastante sobre assunto e gêneros distintos, desde livros até artigos e reportagens. Dessa forma, o aluno conseguirá construir um bom repertório e, assim, ter argumentos sólidos para escrever na prova.

7. FAÇA SIMULADOS

O Enem é um exame extenso, com 180 questões, além da redação. Por isso, é preciso se preparar bastante para fazê-lo. Do contrário, o aluno pode acabar se perdendo no tempo e não conseguindo concluir a prova.

Além disso, testar os conhecimentos é importante para que o candidato saiba o que consolidou em termos de aprendizado. Dessa forma, nada melhor do que fazer muitos simulados, certo?!

8. ANOTE OS ERROS E OS ACERTOS

Além de fazer simulados, é importante que o aluno anote quais questões acertou e quais questões errou. Assim, será possível traçar um “diagnóstico” sobre os conhecimentos obtidos para a prova.

A partir disso, o estudante poderá enxergar melhor o que precisa estudar mais e o que realmente já absorveu em termos de aprendizado. Com esse “diagnóstico” em mãos, é hora de aprofundar mais nos estudos daqueles conteúdos que ainda não compreendeu tão bem.

9. REFAÇA AS PROVAS

Depois de estudar os conteúdos sobre os quais tinha menos conhecimento, é interessante que o aluno refaça os simulados.

Assim, será possível consolidar ainda mais o que já tinha aprendido. Além disso, essa é uma forma de o estudante averiguar o que conseguiu avançar nos conteúdos que tinha mais dificuldade.

10. RESPEITE SEU PRÓPRIO TEMPO

É essencial também que o aluno respeite seu próprio tempo para aprender. Isso porque cada pessoa possui características que as tornam únicas. Então, querer se encaixar no padrão de outro aluno pode acabar trazendo apenas frustrações. Nesse sentido, é preciso, por exemplo, evitar comparações com os colegas de classe.

Sendo assim, o autoconhecimento é fundamental. É importante que o candidato saiba até que ponto deve gastar tempo nos estudos sem que isso prejudique a sua saúde física e emocional, entre outras coisas.

11. TENHA MOMENTOS DE LAZER

Tão importante quanto estudar é relaxar. Sendo assim, o equilíbrio é a palavra-chave para ter o sucesso tão desejado no Enem. Isso porque o aluno que só estuda pode acabar com uma grande sobrecarga mental.

Assim, poderá prejudicar seu desempenho nos estudos e até a sua saúde emocional e física. Por isso, como dissemos anteriormente, é indicado que na rotina se inclua também o tempo para o lazer e para o descanso!

Gostou do nosso conteúdo sobre como o que levar em consideração na hora de estudar para o Enem? Então, veja também nosso vídeo sobre como construir um repertório para a redação do Enem:

Tags: