9 DICAS PARA MELHORAR O RELACIONAMENTO COM O FILHO ADOLESCENTE

Eles não são mais crianças, mas também ainda não são adultos. Eles são adolescentes! Tida como uma fase difícil da vida, a adolescência é um período de transição, marcada por mudanças físicas, sociais e psicológicas. E saber lidar e se relacionar com os filhos nessa idade é desafiante para muitas famílias.

Aos pais, cabe a missão de continuar cuidando e contribuindo para o crescimento do filho adolescente. Mas como? Afinal, vários conflitos internos e externos ocorrem nessa etapa da vida. Sendo assim, conseguir ajudar os filhos pode ser uma tarefa delicada e complexa.

Para isso, a dica de ouro é estabelecer um bom relacionamento com ele. Por isso, listamos 9 dicas para você melhorar o relacionamento com seu filho adolescente. Confira!

1. DIALOGUE

Manter o diálogo aberto é um ponto crucial para o sucesso de qualquer relacionamento. Com os filhos adolescentes, isso não é diferente. Por meio de uma boa comunicação, os vínculos são fortalecidos e ambas as partes têm a oportunidade de entender melhor o outro.

É verdade que muitos adolescentes acabam se fechando nessa etapa da vida, o que dificulta o diálogo entre família. Porém, os pais devem buscar sempre uma forma de conversar com eles.

Veja qual forma de abordagem dá mais certo com seu filho e invista nela. Uma dica é ter cuidado para não falar com seu filho como se ele ainda fosse uma criança. Isso poderá irritá-lo e até afastá-lo de você. Isso pode acontecer, pois seu filho pode achar, por exemplo, que você não o conhece o suficiente para tratá-lo adequadamente. Assim, será mais difícil ele manter o diálogo com você.

Ouvir o que ele tem a dizer também é fundamental. Escute com atenção e dê o seu parecer sobre o assunto depois. Nessa hora, busque não fazer pré-julgamentos. Toda conversa deve ser feita de forma respeitosa, pois isso ajuda o adolescente a se abrir e a respeitá-lo também. Ao mesmo tempo, não deixe de argumentar, ser firme e claro em suas falas. Seu filho precisa ter clareza da situação e entender o que você quis dizer durante a conversa.

2. DESENVOLVA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Em resumo, ter inteligência emocional é saber gerir as próprias emoções e conflitos, além de gerenciar de forma saudável os relacionamentos interpessoais. Por isso, é muito importante que você desenvolva sua inteligência emocional para ter um bom relacionamento com seu filho adolescente.

Isso porque, quando crianças, os pais costumam ser sempre uma referência para os filhos. Porém, quando eles crescem um pouco, tornam-se pessoas mais críticas e essa referência pode cair por terra.

Então, reveja como trata cada membro da família, os colegas de trabalho e os amigos… A forma como tratamos as pessoas diz muito sobre como estamos internamente.

Além disso, a partir das suas ações, seu filho certamente perceberá se você consegue gerir seus conflitos internos. Caso perceba que seu emocional não está bem, busque ajuda psicológica ou médica.

Ao perceber que você é uma pessoa emocionalmente saudável, provavelmente, ganhará mais credibilidade com seu filho. Assim, ele continuará tendo você como referência.

Dessa forma, você conseguirá ainda ajudar o seu filho a ter mais inteligência emocional também. A saúde emocional dos pais é fundamental para a saúde emocional dos filhos.

3. BUSQUE SE INTERESSAR PELAS COISAS QUE SEU FILHO GOSTA

Um erro comum é não se interessar pelas coisas que o filho gosta. Isso vale para todas as etapas da vida dele. Contudo, na adolescência, essa questão pode se tornar mais evidente e dificultar o relacionamento entre pais e filhos.

Então, busque saber o que seu filho gosta. Conheça os gostos dele sobre tudo: comida, música, disciplinas preferidas, posição política, crença religiosa… Além de ajudar a ter mais assuntos com seu filho, assim, ficará mais fácil descobrir se esses gostos são saudáveis para ele.

Você pode também acabar descobrindo que gosta das mesmas coisas e isso será favorável ao relacionamento entre vocês.

4. SEJA O LÍDER

É comum que, ao chegar à adolescência, os filhos queiram tomar decisões por conta própria. Isso acontece porque os adolescentes passam a entender um pouco mais sobre o que querem da vida. Assim, eles sentem que é hora de viver como desejam, porque “sabem” o que estão fazendo.

Contudo, ainda que seu filho seja uma pessoa madura para a idade ele, você continua sendo o líder da casa. Por isso, mostre que ele pode dar opiniões, mas que a decisão final é sua.

Claro que os pais devem buscar não agir com autoritarismo, que é quando impomos uma vontade nossa sobre o outro, pois isso afasta os filhos. Porém, é importante que os pais mostrem que são as autoridades. Isso quer dizer que há hierarquias na família e as mesmas devem ser respeitadas para o próprio crescimento saudável dos filhos.

Adolescentes que não possuem limites e regras em casa terão dificuldades para se relacionar na sociedade. Uma família com referências invertidas de liderança gerará prejuízos ao desenvolvimento dos filhos em todos os sentidos.

5. DÊ AUTONOMIA

Exatamente por serem os líderes da família, os pais devem saber dar autonomia ao filho adolescente. Pais que têm problemas em liderar a casa, não sabendo dar limites e estabelecer regras, poderão criar filhos com dificuldade de autonomia. Dessa forma, eles tenderão a ser pessoas mais dependentes, uma vez que ser autônomo é ter capacidade de administrar uma tarefa sozinho.

Por isso, dê liberdade para o adolescente executar certas atividades sozinho. Mostre que ele já pode assumir algumas responsabilidades, conforme a faixa etária em que estão.

6. TENHA CONTATO COM A ESCOLA

A escola pode e deve ser uma grande aliada da família. Por meio da escola, você poderá saber sobre como seu filho tem se comportado e fazer intervenções, caso necessário.

Além disso, a equipe pedagógica costuma perceber quando algo não vai bem com um aluno. Assim, caso seu filho esteja passando por algum problema, a escola poderá informá-lo e até mesmo ajudá-lo a resolver aquela situação. Por isso, participe das reuniões escolares e mantenha o contato com os professores da escola.

Saber o que o filho está passando é fundamental para um bom relacionamento, pois, assim, você poderá apoiá-lo quando necessário.

7. SEJA EXEMPLO

Uma frase que amamos aqui é: “O melhor ensino é o exemplo”. E, quando se trata de criação de filhos, essa máxima é ainda mais real. Os filhos estão atentos às atitudes dos pais e costumam reproduzir naturalmente várias delas.

Por isso, se você quer que seu filho tenha um bom relacionamento com você, dê o primeiro passo. Seja um exemplo em educação, respeito, amor, compreensão, fidelidade… Enfim, provavelmente, você tem uma lista de virtudes e habilidades socioemocionais que acha importante exercer em um relacionamento. Então, que tal pôr em prática tudo isso e virar um modelo a ser seguido na família?

8. SEJA UM AMIGO

Como dissemos, o diálogo é importante para o bom relacionamento com o filho adolescente. Contudo, ser amigo vai além de ter uma boa comunicação.

Ser amigo envolve parceria, lealdade, fidelidade, compromisso. Mostre ao seu filho que você pode ser alguém assim para ele. Mostre que você pode ser um amigo com que ele pode contar e ter apoio em todos os momentos. Afinal, não há nada mais eficaz para se aproximar do filho adolescente do que sendo um verdadeiro amigo para ele.

9. REVEJA SUAS ATITUDES

Essa é, na verdade, várias dicas em uma só. Isso porque existem várias atitudes que podem acabar prejudicando o relacionamento com o filho adolescente.

Entendemos que, assim como qualquer outra pessoa, os pais não são seres humanos perfeitos. Portanto, também erram.

Contudo, há atitudes que os pais devem se esforçar para evitá-las para que, assim, tenham mais sucesso na relação com os filhos. Por isso, veja algumas atitudes que deve evitar:

  • não entender que os filhos cresceram e constrangê-los, tratando-os como crianças especialmente na frente de outras pessoas;
  • não deixar que o filho tenha o próprio modo de pensar e fazer as coisas;
  • demonstrar falta de confiança no filho sem motivo aparente;
  • achar que o filho é melhor do que as outras pessoas, contribuindo para que sejam pessoas mimadas ao colocá-los em um “altar”;
  • fazer chantagens com o filho para atingir algum objetivo.

Esses são apenas alguns exemplos de erros comuns que muitos pais comentem com na relação com o filho adolescente. Sendo assim, reflita se você costuma agir de algum modo prejudicial ao seu filho. Reveja se essa já é a hora de mudar de atitude, combinado?!

Gostou do nosso conteúdo sobre como ter um bom relacionamento com o filho adolescente? Veja também nosso vídeo sobre como ajudar adolescentes no desenvolvimento da autonomia: 

 

Tags: