Projeto Amigo Batista cria laços afetivos entre estudantes

O primeiro dia de aula é um momento especial na vida dos estudantes. Muitas crianças estão conhecendo os colegas, professores e as novidades podem causar insegurança em relação a nova escola e turma. Sentir-se acolhido, abraçado nessa nova fase, mesmo que virtualmente, transforma a experiência no dia a dia. O projeto Amigo Batista da Unidade Sete Lagoas tem criado laços afetivos entre os estudantes do 2º ao 5º ano das séries iniciais, por meio de ações interativas entre veteranos e novatos.  

A coordenadora das séries iniciais da unidade, Aline Mara Sato Demer de Oliveira explica que o projeto surgiu durante a reunião dos professores, no primeiro dia de aula deste ano, quando perceberam importância de trabalharem a inclusão e interação com as crianças que chegam ao colégio pela primeira vez e que também estão vivendo uma nova experiência de aprendizagem por meio do ensino remoto. O acolhimento auxilia os estudantes novatos a desenvolverem o sentimento de pertencimento, criarem laços, diminuírem a ansiedade e aumentarem a segurança em relação a nova experiência que estão vivendo com a nova escola e colegas”, ressaltou 

Ainda segundo a educadora, a iniciativa é um convite para um desafio e uma oportunidade de fazer novas amizadesAs crianças trabalham a acolhida dos novos estudantes diariamente e na prática funciona assim: os alunos veteranos são selecionados e os novatos sorteados para interagirem entre eles, durante as aulas. Um dia eles estão lanchando, outro dia, eles estão mandando uma mensagem, fazendo um para casa juntos e em outro, eles estão enviando um recadinho carinho para o colega, criando um vínculo muito especial. Recebo retorno das famílias e fico emocionada ao recordar das falas dos pais que se sentem felizes pelo filho já ter feito uma amizade”, contou emocionada Aline 

Para Camilla Mascarenhas França de Aguiar, mãe da estudante do 3º ano, Marina Mascarenhas Aguiar Metzker, de 7 anos, o projeto é de uma sensibilidade admirável. Minha filha estuda no Colégio Batista há um ano e a atividade foi muito acolhedora para as crianças. A Marina e o colega de classe, Rodrigo, lancharam juntos na hora do intervalo, e no final do lanche, os dois disseram um para o outro que gostaram muito da experiência. Tenho certeza de que essa iniciativa fez com que ele e todos os novatos se sentissem bem acolhidos e os veteranos mais à vontade com os novos amiguinhos”, destacou. 

Estudantes Marina Mascarenhas Aguiar Metzker e Rodrigo de Sousa Tinoco durante atividade do projeto.

Já para Sylvia Morais de Sousa Tinoco, mãe do estudante do 3º anoRodrigo de Sousa, que estuda pelo primeiro ano no Colégio Batista, o projeto está sendo muito importante para ajudar o filho a integrar as atividades da escola. “Lanchar e fazer dever de casa junto com outros coleguinhas ajudou o Rodrigo a se sentir mais em casa e a conhecer novas amizades. Ele gostou muito da proposta e de ter a companhia dos companheiros de turma”, contou. 

“Acredito que o projeto Amigo Batista possa contribuir na valorização da amizade, da empatia e da adaptação às adversidades que acontecem durante a vida e, principalmente, durante a fase escolar. Saber lidar com adversidades e tirar o melhor proveito disso, com certeza fará desses pequenos, grandes pessoas. Me tranquiliza ver que a socialização emocional é tão importante e valorizada pela equipe do CBM. Somos muito gratos a Deus pela oportunidade de termos nossos filhos estudando na Rede Batista”, completou Camilla Mascarenhas. 

 

Tags: