No ambiente escolar de hoje, a rotina de aprendizagem inova pouco, ousa pouco e testa pouco as várias maneiras de aprender, por isso os estudantes conhecem pouco do seu próprio jeito de aprender. Aprender a aprender! É o que nossos filhos precisam fazer a fim de conquistar a condição de estar sempre prontos e compreender com agilidade o que se espera deles. Com uma metodologia inovadora e prática, o ensino de robótica é uma ferramenta eficaz para o cumprimento deste desafio.

Além disso, o ensino da robótica reinventa a sala de aula. Por quê?

Motivação – Primeiro porque é divertido! A própria sala é colorida e diferente. Brincar com lego e montar soluções sempre nos toca pelo desafio e pela emoção. Sim! O “eu posso fazer isso” me impulsiona a tentar algo novo e diferente ou mais rápido. São estímulos que muitas vezes superam a rotina da sala de aula. Aprender o que me motiva é essencial.

Solução de problemas no contexto real – Lidar com criatividade na proposta de solução de problemas reais, como no trânsito ou na agricultura, são situações que estimulam muito e conversam com o desenvolvimento do pensamento criativo e objetivo e com a necessidade de dar um fim proveitoso ao nosso saber, uma contribuição real à sociedade, tema muito caro ao educador Perrenoud. Aprender a ser útil.

Competências relacionais – Toda a atividade da robótica é desenvolvida com dinamismo e em grupos, levando ao desenvolvimento de competências relacionais como a comunicação, a escuta e a liderança. Os torneios e a participação em olimpíadas são o desafio que faz a roda girar, levando uma boa parte dos alunos de robótica a um nível de envolvimento com as aulas e seus desafios não visto em outros eventos de aprendizagem. Aprender a conviver.

Leia mais: Meu filho, o profissional do amanhã

Nossa escola tem oferecido esta experiência ao nosso estudante, e o que descobrimos? Que esta ferramenta é muito útil, e é realmente eficaz na proposta de aproximar o desenvolvimento das competências necessárias (ao presente e ao futuro) da prática na escola de hoje! Fique atento às palavras de Alvin Toffler: “O analfabeto do século XXI não será aquele que não consegue ler e escrever, mas aquele que não consegue aprender, desaprender e reaprender”.

Um abraço,
Professor Jean Silveira
Diretor do Colégio Batista Mineiro – Uberlândia

Tags: