Adotar boas práticas na hora de comprar e organizar o material escolar do filho é garantia de começar o ano letivo com o pé direito. Entre os cuidados para acertar na hora de comprar itens como livros, cadernos e afins estão: fazer uma ampla pesquisa; criar uma lista com o que tem que ser comprado e ter atenção especial a marcas e personagens.

Ficar de olho nas embalagens, não levar as crianças para as compras, não se limitar a marcas e ter atenção ao que foi pedido pela escola são outros pontos essenciais para executar esse processo com organização. Então, veja 8 dicas para comprar e organizar o material do seu filho!

1. Pesquise

O primeiro passo para acertar na hora de comprar o material escolar de crianças e adolescentes é fazer uma ampla pesquisa e a internet pode ser o ponto de partida. Pesquise preços do mesmo itens em diferentes lojas e considere ainda condições para pagamento. Benefícios oferecidos pelas empresas também devem ser analisados, pois há lojas que cobram um pouco mais caro por determinado produto, mas têm entrega grátis, por exemplo.

Além de pesquisar preços e condições oferecidas, guarde o material publicitário divulgado. Isso ajuda na análise de preços e, ainda, é uma segurança na hora de fechar a compra. Se o preço na hora de pagar for maior do que o divulgado, a empresa tem que cobrar o valor que está na publicidade.

2. Faça uma lista

Além da pesquisa prévia de preços, ter uma lista com tudo o que precisa ser comprado é garantia de que nada ficará de fora e, ainda, que nenhum item será adquirido em dobro. Nesse sentido, antes de sair às compras, é importante analisar se há materiais do ano anterior que pode ser reutilizados. Converse com seu filho e peça a ajuda dele na hora de definir que itens podem ser usados novamente.

Estojo, compasso, tesoura, régua e pincéis, por exemplo, estão entre os produtos que duram mais de um ano letivo se forem bem cuidados. Além de economizar, é uma forma de trabalhar com os pequenos valores como consumo consciente e a importância de cuidar bem do seu material.

3. Tenha cuidado com marcas e personagens

Outro ponto de atenção na hora de comprar material escolar é a necessidade de investir em produtos com marcas e personagens. Geralmente, itens desse tipo são licenciados, o que faz com que custem mais do que um produto sem logotipo ou personagem específico.

Nem sempre cadernos, canetas e estojos de marca e/ou com personagens têm qualidade maior ou são os mais indicados para o que o estudante precisa. Avalie também se determinado personagem ou tema é adequado à idade da criança. Se necessário, explique para os pequenos porque não está comprando um item específico.

4. Fique de olho nas embalagens

Para evitar dor de cabeça no futuro, é importante ter atenção especial às embalagens, principalmente no caso de produtos como fitas adesivas, colas, tintas e giz de cera.

Esses tipos de produtos devem ter, em suas embalagens, informações claras sobre pontos como condições de armazenamento, instruções de uso, cuidados, prazo de validade e composição. Ler as embalagens e usar os produtos da forma correta são cuidados essenciais não só para garantir a durabilidade dos itens, como manter a saúde da criança em dia.

5. Não leve as crianças para as compras

Uma dica de ouro para adquirir e organizar com sabedoria o material escolar do seu filho é deixar as crianças em casa quando for fazer as compras. Além de ganhar em agilidade, você evita ter que lidar com pedidos de itens que não são estritamente necessários.

Para não perder tempo, não esqueça de levar a lista do que precisa adquirir antes de sair de casa e atenha-se a ela.

6. Não se limite a marcas

É possível economizar na hora de comprar material escolar sem perder em qualidade. Muitas vezes, não é por que um item é mais caro que ele é, necessariamente, melhor do que outro.

Muitas vezes, um produto custa mais do que o dobro apenas por que é da marca X e não Y. Para não se descapitalizar desnecessariamente nas compras, avalie se vale a pena comprar um item equivalente, de uma marca não tão conhecida, em vez de adquirir apenas produtos de empresas famosas.

7. Veja o que foi pedido pela escola

Pesquisar preços e condições é cuidado essencial na hora de comprar material escolar. No entanto, é preciso ter atenção e olhar com cuidado o que foi pedido pela escola. Muitas vezes, a instituição de ensino solicita itens de marcas e características bem específicas.

Ao comprar livros paradidáticos, por exemplo, deve-se olhar não só o título e autor, como também editora e edição. Dessa forma, você garante que seu filho começará as aulas com o mesmo material que os outros alunos.

8. Negocie descontos e serviços

Na disputa pela preferência dos consumidores, muitas lojas oferecem condições especiais para serem escolhidas na hora da compra do material escolar. Por isso, não deixe de negociar descontos caso compre tudo em um mesmo local, por exemplo.

Em determinados casos, vale a pena também pedir benefícios exclusivos, como encapamento de cadernos, caso o valor total da compra seja alto. Uma estratégia que costuma dar certo é combinar com outros pais de fazer as compras em conjunto. Assim, pode-se negociar valores mais em conta para todos.

Pesquisar preços, fazer uma lista com tudo o que precisa ser comprado e não se prender a marcas e personagens são algumas dicas indispensáveis para quem quer economizar e não se estressar na hora de comprar e organizar o material escolar dos filhos.

Ver o que pode ser aproveitado dos anos anteriores e, até mesmo, promover trocas de produtos com os outros pais também são formas de não gastar muito na hora de comprar livros e acessórios para o novo ano e, ainda, trabalhar com as crianças a importância do consumo consciente. Coloque já em prática essas dicas!

Conhece alguém que pode se beneficiar dessas dicas para comprar e organizar o material escolar dos filhos? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais!