Do Batista para o mundo: ex-estudantes ingressam em universidades dos EUA

O número de brasileiros que estão indo cursar a graduação no exterior está crescendo. Um levantamento feito pela Associação das Agências Brasileiras de Intercâmbio (Belta) mostra que, entre 2017 e 2018, esse número aumentou 37,7%. Não é por acaso – afinal, é um grande diferencial na carreira obter um currículo internacional. Caio Augusto e Letícia Miranda sabem bem disso e agarraram a oportunidade de cursar uma graduação internacional.

Ex-estudantes do Colégio Batista Mineiro (CBM) e da Escola Batista de Idiomas (EBI), a dupla mora atualmente nos Estados Unidos. Caio já vive essa experiência há dois anos, quando decidiu cursar Administração com foco em Empreendedorismo na Dallas Baptist University, no estado de Texas. Conforme o jovem, o ensino acadêmico aliado à educação socioemocional ofertados pelo Batista fez a diferença para que ele se desenvolvesse e conquistasse esse sonho de estudar nos Estados Unidos. “Os princípios do caráter que o Colégio me passou, juntamente com meus pais, foram muito importantes para que eu crescesse como cidadão”, afirma.

Além disso, Caio destaca que o aprendizado do inglês foi essencial para que conseguisse cursar a universidade americana. “O ensino da Escola Batista de Idiomas foi crucial para eu conseguir me adaptar e comunicar com facilidade. Isso porque a escola não ensinou só gramática, mas também a maneira mais usual que o inglês é falado”, enfatiza.

Letícia, que acabou de ingressar no curso de Biomedicina da California Baptist University, também ressalta que o fato de ser fluente em inglês tem feito toda a diferença. “A EBI traz o contexto dos países. A gente aprende como algo realmente ocorre em determinado país, e não apenas aprendemos a língua falada. A escola proporciona uma imersão cultural mesmo, porque aprendemos sobre a cultura estrangeira e não só a gramática do inglês”, explica.

Assim como Caio, Letícia diz que a formação humana ofertada pelo Colégio Batista tem sido importante para o sucesso na área profissional. “Os valores que aprendi no Batista me tornaram a pessoa que sou hoje”, afirma.

E, para quem deseja seguir os passos da dupla, o Colégio Batista Mineiro e a Escola Batista de Idiomas podem ajudar por meio das parcerias que firmadas com universidades internacionais. “Para quem quer estudar fora, diria também para investir no inglês e procurar ter um desempenho acadêmico muito bom”, acrescenta Caio.

Tags: