Na Escola Batista de Esportes (EBE), os ensinamentos extrapolam os limites dos campos. Mais do que aperfeiçoar uma habilidade, a escola contribui para o aperfeiçoamento de aspectos socioemocionais, ensina valores para serem levados por toda a vida e ajuda seus atletas a realizar sonhos.

Thiago Azevedo é atleta do basquete

Liderança
Jogador de basquete, Thiago Azevedo concluiu o Ensino Médio no Colégio Batista em 2018 e destaca que uma das marcas deixadas pela EBE foi aprendizado sobre liderança. “Fui muito acolhido por todos. Além disso, tive a oportunidade de fazer amizade e conhecer pessoas do Brasil inteiro por meio da EBE devido aos campeonatos que disputamos. Outra coisa que a escola me proporcionou também foi o senso de liderança e a capacidade de lidar bem com as dificuldades da vida e do esporte”, pontua.

Rebeca Muniz é da equipe de vôlei

Superação
Estudante do 9º ano do Ensino Fundamental e jogadora de vôlei, Rebeca Muniz, diz que na EBE encontrou muito mais que um time. “A equipe do vôlei é uma família para mim. Tanto o treinador quanto as meninas da equipe me ajudam muito em todos os aspectos”, diz. O treinador da jovem, o professor Dilson Rocha, lembra ainda que, na Escola Batista de Esportes, Rebeca conseguiu vencer barreiras de sociabilização. “Utilizando o vôlei como ferramenta de inclusão de integração, hoje, aos 14 anos, a Rebeca se tornou uma das melhores jogadoras da equipe. A autoestima dela mudou completamente”, afirma o professor.

Amanda Garrido é jogadora de futsal

Realização
Já para Amanda Garrido, estudante da 3ª série do Ensino Médio e atleta do futsal, a EBE tem sido uma porta de acesso para a realização de um sonho. “Desde pequena, tenho o sonho de jogar futsal. Por isso, assim que entrei no Batista, por volta dos 4 ou 5 anos de idade, comecei a jogar futebol no recreio. Aos 12 anos, comecei a disputar campeonatos de futsal com as meninas pelo Batista”, conta ela, que deseja continuar a carreira nos Estados Unidos.

Gabriel Pessoa Lage é da equipe de futsal

União
Gabriel Pessoa Lage, estudante da 1ª série do Ensino Médio e integrante da equipe de futsal, conta, por sua vez, que um dos maiores aprendizados que teve na EBE foi em relação à importância da união dentro da equipe. “A Escola Batista de Esportes é o melhor lugar pelo qual eu já joguei, e todos são muitos unidos. É um lugar diferenciado nesse sentido”, destaca ele, que, no último ano, de sete jogos disputados, venceu cinco junto à sua equipe.

Tags: